Como ter um resguardo saudável, parte I

“A estranha sensação de ´não ser´ mãe após o parto também não é rara. Porém, o convívio com o bebê tecerá laços afetivos fortes. A mãe nasce para a maternidade quando a criança nasce para o mundo.”

VINHA, Vera Heloisa Pileggi. O livro da Amamentação. p.15.Campinas, SP: Mercado de Letras,2006.

  • 1 Passo: planejamento, 40 dias não são 40 horas!

Vamos reforçar mais uma vez a importância de, durante o período da gravidez, você dedicar parte do seu tempo para explorar suas necessidades e as necessidades do bebê após o parto, ou seja, informação e planejamento, sempre! Por que planejar? E o que planejar? Estabelecer prioridades é o segredo de um bom pós-parto ou “dieta”. Seguem algumas recomendações de planejamento.

1.1. O que você precisa diariamente para viver? Alimento. Quem fará pra você?

  Pense se há a possibilidade de ter uma ajuda na cozinha, seu corpo vai precisar de descanso e ao mesmo tempo de energia para dar conta da amamentação. Não há como obter ajuda externa? Calma, há solução. Prepare algumas sopas, comidas das quais você gosta e congele-as, assim evita cozinhar alguns dias. Converse antes do nascimento do bebê com o seu companheiro, marido, acertem os pontos nos quais cada um pode ou não fazer. Veja mais em “Alimentação durante aleitamento materno.”

1.2. Limpezas e arrumações, e agora?

  O ponto chave do resguardo, que deve ser prioridade no planejamento, é ter descanso, repouso!! E não estamos afirmando que você deve estar 100% inativa, deitada e sendo servida. Reforçamos a ideia do descanso no sentido de ausência do estresse psicológico, principalmente. Isto pode prejudicar o desenvolvimento da ocitocina, logo, do leite.  A casa está desarrumada? Respire fundo, entenda que a vida mudou, e pra melhor; mais uma vez, esclareça/planeje todos esses pormenores, detalhes, antes do nascimento, com o seu companheiro/marido, e simplesmente deixe de lado, ou se realmente lhe fizer mal a bagunça, faça tudo por partes, um espaço por vez, sem estresse!! É importante também movimentar-se, exercitar-se – com limitações, é claro – sem exageros e principalmente, sem preocupações!

  • 2 Passo: não queira ser “Super Mulher”!

  Este ponto reforça o anterior. Canalize que a sua vida mudou e pra melhor, acredite. A fadiga, as dores pós-parto, as noites mal dormidas são consequências certas de acontecer. Então como torná-las menos sofridas? Não se cobre. Administre seus pensamentos, ou pelo menos tente. Aproveite cada momento que seu bebê dormir, para alimentar-se bem e também dormir. Encare como um processo novo. Uma nova rotina. Não entre em pânico. Dialogue sempre que desejar com quem lhe traz conforto. Caminhe, apanhe um ar fresco. Entre em sintonia com seu filho (a). Ele (a) é prioridade agora. Confie nos seus sentidos e na sua intuição. Encontre um equilíbrio com o companheiro para ele não se sentir “abandonado”.

  Mas, então perguntam: isto tudo não é ser “super mulher”? Não deixa de ser, porém uma “super mulher” que faz escolhas positivas, escolhas que a fazem se sentir melhor e mais feliz. Assim, o apelido é válido. Porém, ser “super mulher” para se achar incapaz de dar conta de tudo, incapaz de cuidar de tudo ao mesmo tempo, incapaz de produzir leite e ainda se sentir deprimida por tudo isso… não, desse tipo de “super”, você deve passar LONGE!

Artigo escrito por Claete Brito Koch para o site:
https://temosquefalarsobreisso.wordpress.com/2016/05/07/como-ter-um-resguardo-saudavel-parte-i/

Referencial teórico:

VINHA, Vera Heloisa Pileggi. O livro da Amamentação. Campinas, SP: Mercado de Letras,2006.

DIAS REGO, José. Aleitamento Materno: um guia para pais e familiares. 2.ed. São Paulo: Atheneu,2008.

Compartilhe esse artigo

Comments

julho 20, 2016
[…] no final do dia, a gente toma um banho quentinho e relaxante pra deixar rolar todo o estresse e cansaço ralo abaixo, não é mesmo? Mas quando se está amamentando nem sempre é assim. A gente vai tomar banho quando suspeita que […]
novembro 8, 2016
[…] Encantar de verdade, é entender! Entenda como funciona o sono infantil, as etapas do sono, os picos de crescimento, sobre a importância da livre demanda, do ritual do sono e principalmente de como você, mãe, está se sentindo em relação a tudo isso. […]

Write a Comment!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *