A mãe de primeira viagem, também é capaz de maternar com segurança.

Existe uma coisa na maternidade que as pessoas não entendem ou preferem não entender: Respeito.

Você já parou para pensar na quantidade de coisas que aquela mulher já deve ter lido, buscado e observado no filho, para tomar decisões que para ela são importantes?

E nessas horas, o respeito com aquela pessoa que está se recuperando de um parto, tem um recém- nascido no colo e está vivendo uma montanha- russa com os hormônios e sentimentos, faz toda diferença.

Você não sabe quantas vezes ela chorou de alegria, por que  acertou fazer a pega correta. Então por favor, não sugira mamadeira.

Quantos dias ela ficou sem banho, por que o bebê só se sentia seguro no colo dela. Então, não sugira deixar o bebê chorando para aprender a se acalmar sozinho.

Quantas vezes ela comemorou cada grama que o bebê dela engordou. Então, não sugira fórmula e nem diga que ele está passando fome.

Quando ela diz que está cansada, ela está só cansada mesmo, e nada tem a ver com o bebê. A grande maioria das vezes, o cansaço tem a ver com lidar, explicar e tentar se desviar de conselhos que ela não pediu.

Você parece não saber, mas ela carregou esse bebê nove meses na barriga, muitas mulheres esperaram por esse bebê durante anos, venceu doenças, venceu dores, venceu muitos médicos dizendo que ela não seria mãe. Então, por favor, pergunte o que ela quer, respeite cada decisão dela, entenda que mesmo sendo ela, mãe de primeira viagem, ela sabe o que é melhor para o filho.

A mãe de primeira viagem, precisa de ajuda útil. Visitas que entendam que o foco desse momento, é apenas ela e o bebê.

Leve apoio, leve um coração disponível a escutar.

Escute mais e fale menos, entenda que essa mulher quer contar o que aconteceu.

Antes de qualquer coisa, use a frase mágica: O que você deseja?

Deixe ela dizer o que ela quer, deixe ela externar seus desejos, permita que você seja a pessoa responsável por essa mulher se sentir mais confiante de suas escolhas, e não o contrário.

E não a critique, se ela chegou até aqui, é por ela dará conta, e esteja disponível a ajudar, se ela pedir sua ajuda.

Caso contrário, apenas respeite, por que você não saberá o que ela passou e aprendeu, se você não estiver disposto a ouvir o que ela tem a dizer.

Share This Post

Write a Comment!

Your email address will not be published. Required fields are marked *