Amamentação Prolongada: um direito meu que a sociedade deve respeitar, sem opinar

A amamentação prolongada ainda é vista é com muito estranhamento e muitas mulheres são abordadas com perguntas do tipo: “desse tamanho todo e ainda mama?” Mas muitas vezes a criança nem precisa ser “grande”, basta as pessoas acharem que tem o direito de opinar nessa decisão tão importante. “Agora que completou 1 ano está na hora de desmamar, não é?” E simplesmente decidem, assim, sem nem conhecer a mulher, nem a criança e muito menos a história de vida das pessoas com as quais estão “determinando” um ponto final para a amamentação.


As pessoas esquecem que amamentar não é só dar leite, mas é dar o melhor alimento com amor, aconchego e carinho num momento de cumplicidade que ninguém mais além da mãe e o filho podem ter. amamentar é dar amor, é dar calor, é dar, acima de tudo, vida. E até hoje não entendo como um ato tão lindo incomoda tanto as pessoas.

Amamentação Prolongada: um direito meu que a sociedade deve respeitar sem opinar
Falsas teorias foram inventadas para fundamentar que é hora de desmamar, a pior delas é: depois de uma certa idade (por volta de 1 ano mais ou menos) seu leite já não tem mais benefícios, é praticamente água. Não entra em minha cabeça que um alimento tão rico e poderoso pode de uma hora pra outra se transformar em “água”. Essa teoria é tão falsa quanto dizer que: “seu leite não alimenta mais seu filho, ele está apenas sugando por que gosta de ficar no colo.”

Pois bem, vamos entender tudo isso baseado em escritores e instituições que realmente sabem o que defendem.
No segundo ano (12-23 meses), 448 ml de leite materno fornece:
29% das necessidades energéticas
43% das necessidades de proteínas
36% das necessidades de cálcio
75% das necessidades de vitamina A
76% das necessidades de folato ou ácido fólico (O folato é necessário para a síntese, reparação e funcionamento do DNA e RNA, os suportes da vida. Esta vitamina é necessária para a produção e manutenção das novas células e é especialmente importante durante os períodos de crescimento rápido, como na infância e gravidez.)
94% das necessidades de vitamina B12
60% das necessidades de vitamina C
Fonte: Dewey 2001

Dentro dessa mesma vertente de preciosidade da amamentação prolongada, está a OMS com a seguinte afirmação:

“Nas últimas décadas, as provas para os benefícios de saúde do aleitamento materno e recomendações para a prática continuaram a aumentar. Que agora posso dizer com total confiança que a amamentação reduz a mortalidade infantil e tem benefícios de saúde que se estendem até a idade adulta. Em uma base populacional, o aleitamento materno exclusivo durante os primeiros seis meses de vida é a maneira recomendada de alimentação de lactentes, seguidos por amamentação contínua com alimentos complementares até dois anos ou mais.
Amamentar o seu filho passado a infância é normal.”

A Academia Americana de Pediatria recomenda que “A amamentação deve ser mantida por, pelo menos, até o primeiro ano de vida ou mais, enquanto mutuamente desejado por mãe e filho… O aumento da duração do aleitamento materno confere benefícios significativos à saúde e para o desenvolvimento da criança e da mãe… não há limite máximo para a duração da amamentação e nenhuma evidência de dano psicológico ou de desenvolvimento pela amamentação no terceiro ano de vida ou mais. “(AAP 2012, AAP 2005).

A amamentação prolongada não beneficia somente a criança mas também a mãe, alguns dados da importância da amamentação para a mãe:

1.  Amamentação estendida atrasa o retorno da fertilidade em algumas mulheres por suprimir a ovulação.
2. A amamentação reduz o risco de câncer de mama. Estudos têm encontrado uma associação inversa e significativa entre a duração do aleitamento e o risco de câncer de mama..
3. O aleitamento materno também reduz o risco de câncer de ovário, câncer de útero e câncer do endométrio.
4. O aleitamento materno protege contra a osteoporose. Durante a lactação uma mãe pode experimentar reduções de mineral óssea. Densidade mineral óssea de uma mãe lactante pode ser reduzida em todo o corpo de 1 a 2 por cento, enquanto ela ainda está amamentando. Isso é adquirida de volta, e a densidade mineral óssea pode realmente aumentar quando o bebê é desmamado do peito. Isso não precisa de uma suplementação adicional de cálcio na dieta da mãe.
5. A amamentação reduz o risco de artrite reumatóide e reduz o risco de doença cardiovascular.
6. O aleitamento materno tem sido usado para diminuir as necessidades de insulina em mulheres diabéticas. Há também uma diminuição do risco de diabetes mellitus tipo 2 em mães que não têm um histórico de diabetes gestacional.
7. Mães que amamentam podem perder peso mais fácil.

E diante de todos esses fatos, ainda existem pessoas com teorias falsas dizendo que amamentação prolongada não traz benefícios, quero dizer a você mulher, mãe e lactante, só você sabe de tudo que passou para amamentar seu filho até aqui, de tudo que viveu durante cada mamada, de tudo que sentiu a cada vez que alimentou seu filho e a quantidade de amor que recebeu e deu a cada vez que ele pediu seu colo para mamar, só você e seu filho podem decidir a hora de parar, não deixe que pessoas que não conhecem a verdade e nem sua história atrapalharem esse elo entre você e seu filho, defenda a amamentação prolongada como fonte de saúde, pois até hoje nada foi descoberto que causasse danos à mãe ou ao bebê ser amamentado depois de 1 ano ou mais.
Seu filho tem esse direito e você também, além de ajudar a passar com segurança e confiança pelas fases do desenvolvimento.

De acordo com Elizabeth N. Baldwin, em  ” Amamentação e a Lei”:

“A amamentação é uma forma calorosa e amorosa para atender as necessidades dos bebês e crianças pequenas. Ele não só os acolhe e energiza-os; também alivia as frustrações, inchaços e contusões e o stress diário da infância. Além disso, a amamentação prolongada ajuda os pequenos a fazerem uma transição gradual para a infância.”

Se a sociedade diz: É hora de parar. Eu digo: quem decide isso não é você!!

Referencial teórico:

BALDWIN, Elizabeth N., Extended Breastfeeding and the Law. Site da La Leche League. Disponível em:< http://www.lalecheleague.org/law/lawextended.html >. Acesso em: 21 out.2014.

BONYATA, Kelly, Extended Breastfeeding Fact Sheet. Site da Kellymom. Disponível em: < http://www.whale.to/a/extended_bf_factsheet.pdf> Acesso em: 21 out.2014.

AMERICAN ACADEMY OF PEDIATRICS, Breastfeeding and the Use of Human Milk. Site da American Academy of Pediatrics. Disponível em: < http://pediatrics.aappublications.org/content/129/3/e827 >. Acesso em: 21 out. 2014.

WORLD HEALTH ORGANIZATION, Breastfeeding. Site da World Health Organization. Disponível em: < http://pediatrics.aappublications.org/content/129/3/e827>. Acesso em: 21 out.2014.

CARVALHO, Marcus Renato de, Amamentação: Bases Científicas. Marcus Renato de Carvalho, Luís Alberto Mussa Tavares. -3.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

GONZÁLEZ, Carlos. Manual Prático do Aleitamento Materno. São Paulo: Editora Timo, 2014.

Share This Post

Comments

Monica Abreu
June 24, 2016
O máximo seu texto! Cheio de sabedoria, valia, amor e afeto! Viva a amamentação! Viva o amor! :)
Luana
July 1, 2016
Seu texto é perfeito...amei conhecer mais sobre a amamentação prolongada em um mundo onde acham que tudo isso ė comodismo . Bjos (Meu terceiro filho tem 1 ano e 6 meses e ainda mama no peito)
July 12, 2016
[…] tantas outras, para estimular o desmame. E Claete Brito Koch, em artigo no seu blog Mãe de Leite (http://www.maedeleite.com.br/amamentacao-prolongada-um-direito-meu-que-a-sociedade-deve-respeitar-se…), escreve, baseada em escritores e instituições que realmente sabem o que defendem, sobre o leite […]
thaiza
July 28, 2016
Apaixonada por esse texto! Meu bebê tem um ano e 10 meses e ainda o amamento. Sou muito criticada por isso, mas não me importo com julgamento alheio, amo amamentar meu bebê! Super apoio a amamentação. Vou tirar quando achar que devo... Obrigada por compartilhar esse belo texto
Patricia
September 11, 2016
Sou apaixonada por meu Bebê , que hoje já tem 1 ano e 7 meses, mama em mim e em livre demanda, graças a Deus e ao meu leite ele nunca " nunca" gripou ou ficou doente...é muito saudável e muito inteligente, enquanto ele quiser vou deixar mamar.
Kamilla
September 21, 2016
Tem algum texto para indicar sobre amamentação acima dos dois anos? Agradeço.
September 24, 2016
Olá Kamila, o que temos no momento é esse, que fala dos benefícios da amamentação além dos dois anos.
Guadalupe Pais
September 24, 2016
Olá meu nome é Guadalupe e amamentei o meu filho até aos 3 anos de idade, tive de o desmamamar porque entretanto engravidei, mas devo dizer que o meu filho raramente ficou doente. O meu segundo filho já vai pelo mesmo caminho. Como diz o artigo temos o direito de escolher e eu escolho o que é melhor para o meu filho e para mim.
September 25, 2016
Olá Guadalupe, isso mesmo, essa decisão é só sua e de seu filho.
Joice Valverde
June 19, 2017
Excelente reflexão.Obrigada.

Write a Comment!

Your email address will not be published. Required fields are marked *