Doulas oferecem apoio fundamental durante o trabalho de parto

A profissional também auxilia durante a gestação e nos primeiros meses do bebê.

 

O momento do parto é, sem dúvida, muito especial. Um misto de ansiedade, expectativa e medo. O ambiente impessoal do hospital aumenta ainda mais essa tensão. Em meio a tantos procedimentos e termos técnicos, o cuidado com o bem estar emocional da parturiente acaba ficando em segundo plano. É aí que entra o trabalho das doulas.

Monitora, consultora, assistente ou acompanhante de parto, a Doula pode ser caracterizada de diversas formas, mas a sua atuação se resume em apoio.

Antigamente, era comum a presença de mulheres mais experientes durante o trabalho de parto, como mães, avós ou vizinhas. Hoje, esse apoio é representado pelas doulas,  mulheres que dedicam uma parte do seu tempo para orientar e assistir a nova mãe no parto e nos primeiros cuidados com bebê. Essa ajuda é mais do que bem vinda, principalmente por mães de primeira viagem, em que tudo é novidade. Quem não quer uma pessoa experiente e carinhosa para dar apoio em um momento de extrema importância e vulnerabilidade?

A doula tem como função apoiar física e emocionalmente a parturiente, através de palavras de conforto e incentivo, técnicas de massagem, uso de aromaterapia, exercícios na bola, vocalização, relaxamento e oferecendo posições que proporcionem alívio da dor e facilitação do trabalho de parto”, define Bruna Estrela, doula, educadora perinatal e consultora em aleitamento.

De acordo com Bruna, seu trabalho é oferecer conforto, encorajamento, tranquilidade, suporte emocional, físico e informativo durante o trabalho de parto e pós-parto. Contudo, ela não realiza nenhum procedimento médico.

“Não é função da doula a prática de nenhum procedimento clínico ou técnico durante o trabalho de parto, como ausculta cardíaca fetal, aferir pressão arterial, fazer exame de toque ou qualquer outro tipo de avaliação médica. Também não cabe a doula substituir o acompanhante de escolha da parturiente ou discutir as decisões do casal. A doula está presente para apoiar a mulher essencialmente, especialmente no campo emocional que está fragilizado e, em geral, vulnerável”.

Bruna explica que o serviço desta assessora começa antes do dia do nascimento do bebê, com encontros para conhecer a gestante e informá-la sobre as etapas do trabalho de parto, preparação do períneo e elaboração do plano de parto. “ O trabalho continua após a chegada do novo membro da família, tirando dúvidas sobre o início da amamentação e conversando sobre a experiência do parto”, completa.

“Todo o meu processo de preparação para o meu parto foi proporcionado pela minha doula, que foi a chave fundamental para que eu parisse. Quando me dei conta da diferença que uma doula poderia fazer no desfecho de um trabalho de parto, me apaixonei pela profissão. Como recém-mãe e não mais cabendo na minha vida antiga e carreira antiga (estava no 7° período de medicina veterinária), decidi largar tudo e me dedicar a outras mulheres que queriam viver uma experiência de parto respeitoso como o meu. Costumo dizer que quando meu filho nasceu, nasceu também a doula em mim”, relata.

 Doulas X Maternidades

A atuação da doula durante o parto é reconhecida e estimulada pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Estudos mostram que a presença delas nas maternidades ajuda a diminuir em 50% os índices de cesáreas, 25% a duração do trabalho de parto, 60% os pedidos de analgesia peridural, 30% o uso de analgesia peridural, 40% o uso de ocitocina e 40% o uso de fórceps. O apoio profissional recebido durante o trabalho de parto e pós-parto aumenta as sensações de bem-estar da mãe, além de ajudar a combater a depressão pós-parto.

Apesar desse reconhecimento, a entrada das doulas ainda não é permitida em algumas maternidades do Brasil e seu trabalho ainda é criticado pela classe médica. “A resistência por parte dos profissionais da saúde envolvidos com o processo de parto nos hospitais à presença das doulas ainda é muito grande. Na minha visão, a presença das doulas é um lembrete de que a assistência ao parto está inadequada no país, de que grande parte dos profissionais não está fazendo seu trabalho como deveriam”, opina Bruna.

No entanto, Bruna ressalta que quando o médico atua de forma a respeitar a decisão da mulher e permitir que ela seja a protagonista de seu parto, sua relação com a doula tende a ser de muita harmonia e parceria, de forma que ambos trabalhem a favor da mulher, com cargos muito distintos sendo ambos essenciais.

Certificação:

As doulas já foram incluídas na Classificação Brasileira de Ocupação e podem conquistar certificação por meio de um curso que ensina desde a dinâmica de um parto até os cuidados necessários com a gestante em um ambiente hospitalar. As aulas são ministradas por doulas experientes, enfermeiras obstetras, médicos obstetras e profissionais da humanização do parto em geral.

“Além, obviamente, da vocação para servir outras mulheres, é preciso um preparo para a atividade. Existem diversos cursos no Brasil preparatórios para atuar como doula, alguns presenciais (inclusive de imersão – a mulher passa alguns dias sem sair do local vivendo experiências profundas sobre parto e resgate do protagonismo feminino) e outros à distância”, finaliza a Doula Bruna.

Bruna Estrela

Doula, Educadora Perinatal e Consultora em Aleitamento Materno

Colunista do site: http://www.manhee.com.br

Como encontrar uma doula?

Você consegue encontrar uma doula no site Doulas do Brasil (www.doulas.com.br)

Fontes:

http://revistacrescer.globo.com/Gravidez/Vida-de-gravida/noticia/2013/07/o-papel-das-doulas.html

http://www.doulas.org.br

http://www.despertardoparto.com.br/doula—o-que-eacute.html

Fonte do texto: http://www.sare.com.br/bem-estar-entrevista/Doulas-oferecem-apoio-fundamental-no-trabalho-de-parto#ixzz47nJrl0T0

Share This Post

Write a Comment!

Your email address will not be published. Required fields are marked *