Estou grávida, posso amamentar?

Grávida, pode amamentar?

Por muitos anos, disseminaram o mito de que grávida não podia amamentar, por que faria mal ao bebê, fazendo-o nascer desnutrido e também ao outro filho, por que o leite azedava durante a gravidez. Isso é mesmo verdade?

O que sabemos hoje, é que não há nenhuma necessidade de desmame por estar grávida, a única indicação é que a mãe procure, desde cedo, um acompanhamento médico, faça o pré- natal rigorosamente e que seja averiguado se na família ouve casos de aborto, o médico deverá ser avisado da amamentação e você deve ficar atenta se sentir algum desconforto ao amamentar.

Durante a gravidez, é muito comum a grávida se sentir cansada, sensibilidade nos mamilos, e uma pequena redução na produção de leite. A amamentação, em qualquer parte da vida, tem que ser boa para os envolvidos, a grávida precisa colocar na balança como ela se sente e como o outro filho encara essa relação. Se você achar que está cansada e que não consegue, que chegou a hora de desmamar, tome essa decisão sem culpa, não deixe que ninguém tome as rédeas do seu relacionamento com seu filho e sua amamentação, quando você sabe a hora de parar, você também sabe a hora de não precisar se culpar por sua escolha.

As vezes, esperar é o melhor a se fazer, muitas crianças acabam desmamando sozinhas devido a alteração do sabor e da redução da quantidade de leite, e nesse caso, não exige uma preocupação por que a maioria das crianças já possuem uma alimentação complementar estabelecida e também, nada impede que quando o outro filho nascer, o filho mais velho não volte a mamar novamente.

Durante a gravidez, um hormônio muito importante para a amamentação, também está presente na vida da grávida, mesmo sendo sua primeira vez como grávida, ele está agindo. É a ocitocina, um hormônio que atua na amamentação, e também atua na contração do útero. Durante o pós- parto a ocitocina e a amamentação, tem o papel contrair o útero para voltar ao tamanho normal, mas na gravidez essa contração precisa ser avaliada imediatamente, quando apresentar sangramento ou contração mais forte e mais persistente apareça.

Nenhuma literatura consultada relata necessidade de desmame, apenas a necessidade de observação sobre os cuidados citados acima, mas é muito importante que a mãe grávida conheça seu corpo para reconhecer com facilidade qualquer alteração.

E também não há necessidade de comer por três ou mais, e sim a necessidade de se nutrir por três ou mais, ou seja, comer de forma saudável e que a dieta seja balanceada. Quando não for possível comer assim? Evite comida industrializada e fast-food, isso já salvará sua dieta e sua necessidade nutricional de forma considerável.

Referencial teórico:

DIAS REGO, José. Aleitamento Materno: uma guia para pais e familiares. São Paulo: Atheneu, 2008.

EVANS, Kate. The Food of Love. Brighton: Myriad Editons, 2009.

Share This Post

Write a Comment!

Your email address will not be published. Required fields are marked *