Mordidas: por que os bebês mordem?

Mordidas: por que os bebês mordem?

Mordidas, a partir de quando elas começam a aparecer? Por que elas doem tanto? E por que os bebês mordem? E o que as mães podem fazer para evitar as mordidas?

Em algum momento da sua amamentação o tema, mordidas, deve ter sondado sua cabeça, e hoje vamos falar um pouco sobre elas e como elas podem interferir na amamentação.

Para entender todo o processo, precisamos entender ponto a ponto, vamos lá?

O bebê faz isso por maldade?

Não!! O bebê faz isso por reflexo,  apesar da mãe não ter percebido, o bebê sempre a mordeu, a diferença é que antes por causa da ausência dos dentes não causava o mesmo medo e nem a mesma dor, de uma mordida com dentes, como a de um tubarão assassino e cheio de fúria e fome (Essa parte foi invenção da minha cabeça mesmo).
O que precisamos levar em consideração, é que o bebê, em nenhum momento, tem a intenção de machucar a mãe, de fazer a mãe sentir dor, manipular ou testar a paciência ou a capacidade da mãe lidar com o susto e com as mordidas.

Mordidas: por que os bebês mordem?

Morder faz parte do processo. 

Os bebês encontram-se na fase oral e por isso, é normal para eles o sugar e deglutir, e com o tempo a mordida passa a pertencer a essa fase, pois gera satisfação assim como sugar, pois é exatamente no seio onde ele encontra seu alívio para a irritante fase da erupção dos dentes. O peito seria o primeiro mordedor, mas a mordida não é  uma “obrigatoriedade” acontecer. Como vemos o relato de muitas mães que nunca sentiram os bebês morderem.

E quando os dentes surgem? 

Os dentes costumam surgir entre os seis e oito meses, as vezes antes e as vezes depois, não há uma idade fixa para o surgimento dos primeiros dentes, e é aqui que o bebê morde tanto para aliviar a dor, como também, para demonstrar sentimentos que ele ainda não consegue demonstrar com palavras, dentre os sentimentos estão: a frustração, dor, angústia e a ansiedade de não saber lidar com a erupção dentária.

E quais as causas das mordidas?

Em recém- nascidos:

  • Geralmente é usada para reter um fluxo de leite maior do que ele possa beber, a mordida tem a função de pausar a descida do leite;
  • Quando recebem bicos artificiais antes de estabelecer a amamentação.

Em bebês:

  • Quando estão sonolentos;
  • Quando adormecem no peito;
  • Quando se assustam;
  • Quando estão em um ambiente com muito estímulo;
  • Quando querem brincar;
  • Para chamar a atenção da mãe;
  • Depois que são amamentados e não estão famintos ou com sede;
  • Quando o leite passa a fluir mais lentamente, costuma acontecer com  bebês em amamentação mista;
  • Quando recebe bicos artificiais;
  • Quando acontece a erupção dentária.

Preciso parar de amamentar?

Não!! O que você precisa fazer é ensinar a não morder.
Como?
Como já falamos o seu bebê não morde por maldade,  precisamos fazê-lo entender que as mordidas não são legais e que você não se sente bem com isso. Não precisa desmamar, assim como todo processo no desenvolvimento do seu filho, as mordidas também são uma fase e vão passar. Desmamar nesse momento seria desistir da guerra sem lutar.

A maioria dos bebês, param com as mordidas em poucas semanas quando entendem, o efeito da ação e reação da mordida.

O que eu faço para ele parar de morder?

  • Explique antes de cada mamada, pacientemente, sobre a dor que a mamãe sente quando ele morde e explique que ele precisa abrir bem a boca;
  • Tire o bebê do peito logo que dormir, assim você evita que ele se assuste e morda, tire-o gentilmente colocando o dedo mínimo no canto da boca dele, tirando o vácuo e a pressão durante a mamada;
  • Tente não amamentar em lugares com bastante estímulo nesse período de mordidas, o estímulo podem despertar stresse no bebê;
  • O bebê acha que a mordida é uma brincadeira, pela reação de susto da mãe, por isso é importante falar de maneira firme como bebê ( sem ser grosseira ou rude);
  • Nessa fase, evite fazer outras coisas enquanto amamenta. Deixe o celular, redes sociais e conversas no telefone para outro momento, faça muito contato visual e carinho, mostre para o bebê que você está ali, ligada nele caso ele morda, caso ele precise de atenção;
  • Termine a mamada assim que perceber que o bebê não está mais interessado;
  • Evite o uso de bicos artificiais, já sabemos que eles interferem significativamente no modo que o bebê ordenha o seio e sua textura mais rígida favorece a ideia de mordida e pega errada;
  • Ao perceber qualquer sinal de erupção dentária, aposte em mordedores, ou até mesmo no picolé de leite materno, eles ajudam a aliviar a irritação e frustração do bebê.

Mas ele brinca com minha cara!

O bebê só está fazendo o que sempre foi feito para eles, reconhecendo como brincadeira as caras e bocas que a gente faz, a diferença é que agora ele provoca essa reação e a mãe se assusta, o que para ele é engraçado, ele não é um tirano, ele é um brincalhão e não sabe que está causando dor.

E o que eu faço?

  • Você precisa mostrar ao bebê que essa ação de morder, está causando a reação da dor:
  • Fale firme, fale que ele está doendo, mas não seja rude ou grite, lembre-se sempre que o bebê não faz isso por maldade, mas é preciso que ele entenda que o tom da voz mudou. Mas sempre converse com seu filho, apesar de não parecer, ele entende o que você fala, conhece o seu tom de voz e sua expressão facial;
  • Se a estratégia de falar firme não surtir efeito, interrompa a mamada e espere poucos minutos e ofereça outra vez, reforçando novamente a conversa que se ele morder vai doer;
  • Aposte na pega correta, é difícil morder quando a pega está correta por que a boca está bem aberta e a língua cobre os dentes inferiores e caso ele tente morder fica mais fácil perceber e fazer a pausa na mamada.

Respire fundo, vai dar tudo certo!

Apesar de ser uma coisa praticamente impossível. Você não pode perder o controle!!

Entendo que receber uma mordida é uma dor de outro planeta, mas nesse momento o seu bebê não entende essa reação e pode entender de maneira totalmente diferente e dependendo da gravidade da sua ação, o bebê pode se recusar a mamar por algum momento ou até definitivamente.

Também precisamos entender ,que somos o porto seguro de todo amor que nossos filhos conhecem, e tudo que damos a eles, eles devolvem em alguma fase da vida, por isso é importante que você não siga indicações malucas.

Que coisas não posso fazer de jeito nenhum!!

  • Apertar a cabeça contra o peito, sufocando-o para largar o peito;
  • Morder o bebê de volta;
  • Passar coisas picantes ou que simulem um machucado;
  • Gritar ou falar de maneira grosseira ou rude;
  • Sacudir o bebê no momento da mordida;
  • Bater no bebê por que mordeu.

Agradecimentos especiais:
Carina Funari Ribeiro de Lima e Lucas Pascoal.
Priscila Correa e Lilice.
Ligia D’Imperio de Santana e Gael.

Referencial teórico:

DIAS REGO, José. Aleitamento Materno: uma guia para pais e familiares. São Paulo: Atheneu, 2008.

EVANS, Kate. The Food of Love. Brighton: Myriad Editons, 2009.

SANTIAGO, Luciano Borges. Manual de Aleitamento Materno. Barueri,SP: Manole, 2013.

GONZÁLEZ, Carlos. Manual Prático do Aleitamento Materno. São Paulo: Editora Timo, 2014.

 

Share This Post

Write a Comment!

Your email address will not be published. Required fields are marked *