Em julho de 2014 minha filha nasceu. Logo de início, no hospital, senti dificuldade para amamentar, o leite, obviamente, não tinha descido. e mesmo assim, a indicação era usar ocitocina sintética.
Chegando em casa, a dificuldade continuou. Junto veio a depressão pós parto, que com certeza, fez piorar o sentimento de impotência ao ver minha filha chorar e eu não conseguir amamentar.
Diante disso, decidi pedir ajuda de uma doula, que veio até mim e me ajudou a vencer o bloqueio psicológico que me impedia de amamentar, já que eu tinha leite e nenhum problema visível.
Primeira etapa vencida.
Foi tudo indo normal e muito bem, a bebê ganhava peso, crescia e tinha muita saúde.
Porém, meu peito nunca vazou uma gota, na verdade sempre enchia a ponto de empedrar, o que aconteceu inúmeras vezes. Foi meu segundo problema em relação à amamentação. Nesse momento foi quando busquei ajuda no Mãe de Leite.
No primeiro contato com a Claete, consegui fazer o que até então era impossível, “ordenhar”, esvaziar e me aliviar. Como disse, nunca consegui tirar uma gota de leite, nem com as mãos, nem bombinha, a única forma de esvaziar meu peito era deixando minha filha mamar.
Depois desse primeiro contato, todas as outras várias vezes que precisei de ajuda, esclarecer dúvidas, ou apenas alguém que me ouvisse e me desse atenção, foi com a Claete que consegui.
O Mãe de Leite não só me deu auxílio no aleitamento materno, como foi minha amiga e confidente.
Vencemos juntas, todas as vezes de peito empedrado, cólicas, mamadas noturnas infinitas e hoje, o desmame natural, gentil e tranquilo.
Aos 3 anos e 1 mês, minha filha desmamou sem forçar, sem traumas e na hora em que ela e eu estávamos prontas.
Em todo esse tempo contei com o apoio do Mãe de Leite.
E deixo aqui meu agradecimento e respeito por esse trabalho lindo.