Zika vírus X Aleitamento materno

Dentre tantas coisas que vêm acontecendo, nossa sociedade vive momentos de angústia quando se trata da saúde e do cenário Zika vírus.

O vírus Zika circula o Brasil e traz preocupações para as gestantes, puérperas, adultos e crianças. Estudiosos se reuniram para discutir sobre o assunto que têm preocupado as famílias, no dia 15 de Dezembro de 2015, pesquisadores e diversos profissionais da área da saúde se reuniram em Belo horizonte para discutir sobre o assunto.

Segundo o Secretário Executivo do Ministério da Saúde Agenor Alves, o país passa por um momento difícil para a saúde pública, sendo importante unir forças e parcerias para o enfrentamento da Zika e demais arboviroses.

Os Especialistas sobre arboviroses, Carlos Brito da Universidade de Pernambuco e Rivaldo Venâncio da Cunha da Fiocruz Mato Grosso do Sul afirmam que o Zika vírus se confirmou em abril de 2015 em casos suspeitos na Bahia e posteriormente em Pernambuco com grande surto de Zika vírus até a presente data.

O Zika vírus é do Gênero Flavírus sendo isolado em 1947 na Floresta em Uganda e tem duas linhagens a Africana e a Asiática. Ocorreu um surto importante em 2007 na Micronésia Ilha de Yap e em 2013 ocorreu um surto na polinésia Francesa com pacientes sintomáticos e com surgimento de complicações neurológicas. É uma doença leve parecida com a Dengue, caracterizada por febre baixa, manchas ou pápulas na pele, dores nas articulações do corpo e conjuntivite.

O Ministério da Saúde confirma a relação causal entre a microcefalia e o Zika Vírus onde ocorre o neurotropismo, uma afinidade pelo sistema nervoso central. Diante da situação vivida não existem estudos de caso-controle ainda para avaliar o risco absoluto e relativo pois são poucos os estudos publicados no Mundo que falam sobre o Zika vírus.

O leite Humano contém propriedades nutritivas, células, membranas, moléculas e anticorpos que protegem todo sistema imunológico do recém-nascido, sendo importante ressaltar que o aleitamento materno vale ouro em padrão de alimentação para as crianças de primeira infância.

As doenças virais maternas podem causar excreção do vírus no Leite Materno mas não há contraindicação do aleitamento materno, ou seja, se a mãe suspender o aleitamento a proteção do lactante fica diminuída e aumenta as chances dele ficar doente (LAMOUNIER; MOULIN; XAVIER, 2004).

Em uma discussão importante com o Infectologista Dr. Maurício Lacerda em um Seminário na Associação Médica de Minas Gerais sobre o Zika vírus, o mesmo disse: “Não existe relação, ao mesmo tempo que você dá o vírus você trata pois o leite humano contém fatores de proteção”. O que se confirma que não existem estudos científicos que falem da viremia através do leite materno, ao contrário, são inúmeros os artigos que apontam a proteção imunológica e os benefícios para o binômio mãe e filho, contudo, precisamos ficar atentos com as informações que circulam na internet e na mídia, indústrias e com o Marketing contra o aleitamento materno.

É importante a disposição de todos para enfrentar a situação e buscar atuar de forma decisiva combatendo o mosquito. Precisamos atacar o vetor de todas as formas, o mais importante é a prevenção, as mobilizações das redes de saúde, das redes de educação e desenvolvimento social, enfim precisamos fazer a nossa parte enquanto cidadãos e fortalecer a atenção às gestantes em relação ao cuidado com o mosquito, estimular as crianças e os pais a usarem repelentes e evitar ambientes propícios ao mosquito. É importante que cada um faça a sua parte.

Artigo escrito por: Por Cintia Ribeiro Santos.

*Enfermeira obstétrica pela Escola de Enfermagem da UFMG, Presidente do Comitê de aleitamento Materno do Hospital Sofia Feldman, Avaliadora da Iniciativa Hospital Amigo da criança pelo Ministério da Saúde, Colaboradora do Projeto Temos que Falar sobre Isso.

REFERÊNCIAS

LAMOUNIER, J. A.; MOULIN, Z. S.; XAVIER, C. C. Recomendações quanto à amamentação na vigência de infecção materna. Jornal de Pediatria, Rio de Janeiro, v. 80, n. 5, supl., p. S181-S188, 2004.

LOPES, N.; NOZAWA, C.; LINHARES, R. E. C. Características gerais e epidemiologia dos arbovírus emergentes no Brasil. Revista Pan-Amazônica de Saúde, Ananindeua, Pará, v. 5, n. 3, p. 55-64, 2014.

 

Fonte: https://temosquefalarsobreisso.wordpress.com/2016/01/04/zika-virus-x-aleitamento-materno/

Share This Post

Write a Comment!

Your email address will not be published. Required fields are marked *